Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate this Page

Rating: 2.5/5 (50 votos)



ONLINE
1





Partilhe este Site...




Jeová virá, não demorará!!
Jeová virá, não demorará!!

“Ainda que [a visão] demore, continua na expectativa dela; pois cumprir-se-á sem falta. Não tardará.” — HABACUQUE 2:3.

“Vou dar-lhes um coração para me conhecerem, que eu sou Jeová; e terão de tornar-se meu povo.” — JER. 24:7.

JEOVÁ inspirou o Rei Salomão a aconselhar os jovens a se lembrarem do seu Grandioso Criador durante a juventude, antes que viessem “os dias calamitosos”. O que são esses “dias calamitosos”? Salomão estava falando da idade avançada. Ele usou palavras poéticas para falar sobre as dificuldades que os idosos têm: falta de firmeza nas mãos e pernas, perda dos dentes, visão e audição fracas, cabelos brancos e corpo curvado. É por isso que Salomão disse para nos lembrarmos de nosso Grandioso Criador enquanto somos jovens. — Eclesiastes 12:1-5.

Pode ser que você já sirva a Jeová por muitos anos. Mas todos nós precisamos nos lembrar de nosso Criador. Para fazer isso, às vezes temos de parar e meditar em como ele é grandioso. Ele nos deu a vida, que é um presente sem igual. Jeová criou as coisas de um modo tão impressionante que os humanos não conseguem entendê-las completamente. São tantas as coisas maravilhosas criadas por Deus que, mesmo tendo diferentes gostos e preferências, todos nós podemos ter prazer na vida. Quando meditamos nas coisas que Jeová criou, nós nos lembramos do quanto ele é amoroso, sábio e poderoso. (Salmo 143:5) Mas lembrar de nosso Grandioso Criador é também pensar sobre o que ele exige de nós. Meditar em todas essas coisas nos motiva a mostrar gratidão. Fazemos isso por dar nosso melhor no serviço de Jeová por toda a nossa vida. — Eclesiastes 12:13.

“VOU ficar de pé no meu posto de vigilância.” Esta foi a determinação de Habacuque, profeta de Deus. (Habacuque 2:1) Os do povo de Jeová, do século 20, têm mostrado a mesma determinação. Por isso responderam com zelo a esta chamada feita num congresso memorável em setembro de 1922: “Este é o maior de todos os dias. Vede, o Rei reina! Vós sois seus agentes de publicidade. Portanto, anunciai, anunciai, anunciai,o Rei e seu reino.”

O que podiam os cristãos ungidos proclamar depois de voltarem a uma atividade vibrante após a Primeira Guerra Mundial? Depois da Primeira Guerra Mundial, Jeová fez os do fiel restante ungido voltar a ter uma atividade vibrante. Assim como Habacuque, cada um deles podia declarar: “Vou ficar postado sobre o baluarte e estarei vigiando para ver o que ele há de falar por mim.” As palavras hebraicas para “vigiar” e “posto de vigilância” são repetidas em muitas profecias.

                                  “Jeová Não tardará”

Por que temos de manter-nos vigilantes? Ao passo que as Testemunhas de Jeová proclamam hoje o aviso de Deus, precisam estar sempre atentas a acatar as palavras concludentes da grande profecia de Jesus: “Mantende-vos vigilantes, pois não sabeis quando vem o senhor da casa, quer tarde no dia, quer à meia-noite, quer ao canto do galo, quer cedo de manhã; a fim de que, ao chegar ele repentinamente, não vos ache dormindo. Mas, o que eu vos digo, digo a todos: Mantende-vos vigilantes.” (Marcos 13:35-37) Assim como Habacuque, e em harmonia com as palavras de Jesus, temos de manter-nos vigilantes!

Como é a nossa situação similar à de Habacuque por volta de 628 AEC? pois bem, Habacuque talvez completasse a escrita do livro por volta de 628 AEC, antes mesmo de Babilônia se tornar a potência mundial dominante. Os julgamentos de Jeová contra a Jerusalém apóstata haviam sido proclamados por muitos anos. No entanto, não havia nenhum indício claro referente a quando este julgamento seria executado. Quem acreditaria que faltavam apenas uns 21 anos, e que Babilônia seria o executor da parte de Jeová? Hoje, de modo similar, não sabemos ‘o dia e a hora’ do fim deste sistema, mas Jesus nos avisou de antemão: “Mostrai-vos prontos, porque o Filho do homem vem numa hora em que não pensais.” —Mateus 24:36, 44. O que é especialmente animador nas palavras de Deus registradas em Habacuque 2:2, 3? Jeová, por bons motivos, deu a Habacuque esta emocionante comissão: “Escreve a visão e assenta-a de modo claro em tábuas, para que aquele que a lê alto possa fazê-lo fluentemente. Porque a visão ainda é para o tempo designado e prossegue arfando até o fim, e não mentirá. Ainda que se demore, continua na expectativa dela; pois cumprir-se-á sem falta. Não tardará.” (Habacuque 2:2, 3) Atualmente, prevalecem iniqüidade e violência em toda a Terra, o que indica que estamos bem próximos do “grande e atemorizante dia de Jeová”. (Joel 2:31) As palavras de garantia do próprio Jeová são deveras animadoras: “Não tardará”!

Como podemos sobreviver ao vindouro dia da execução do julgamento? Então, como podemos sobreviver ao vindouro dia da execução do julgamento? Jeová responde por fazer este contraste entre os justos e os injustos: “Eis que a sua alma ficou inchada; não tem sido reta no seu íntimo. Mas, quanto ao justo, continuará a viver pela sua fidelidade.” (Habacuque 2:4) Governantes e povos orgulhosos e gananciosos mancharam as páginas da História moderna com o sangue de milhões de vítimas inocentes, notavelmente nas duas guerras mundiais e nos banhos de sangue étnicos. Em contraste, os servos ungidos de Deus, que amam a paz, têm perseverado em fidelidade. Eles são “a nação justa que mantém uma conduta fiel”. Esta nação, junto com seus companheiros, as “outras ovelhas”, acata a admoestação: “Confiai em Jeová para todo o sempre, pois em Jah Jeová está a Rocha dos tempos indefinidos.” — Isaías 26:2-4; João 10:16.

O que temos de fazer, em harmonia com a aplicação que Paulo fez de Habacuque 2:4? O apóstolo Paulo, escrevendo a cristãos hebreus, citou Habacuque 2:4, dizendo ao povo de Jeová: “Tendes necessidade de perseverança, a fim de que, depois de terdes feito a vontade de Deus, recebais o cumprimento da promessa. Pois, ainda ‘por um pouquinho’, e ‘aquele que vem chegará e não demorará’. ‘Mas o meu justo viverá em razão da fé’, e, ‘se ele retroceder, minha alma não terá prazer nele’.” (Hebreus 10:36-38) Agora não é a época para afrouxarmos as mãos ou para sermos enlaçados pelos modos materialistas e hedonistas do mundo de Satanás. O que temos de fazer até que se esgote o “pouquinho” de tempo? Assim como Paulo, nós, os que somos da nação santa de Jeová, temos de ‘esticar-nos para alcançar as coisas à frente, empenhando-nos para alcançar o alvo’ da vida eterna. (Filipenses 3:13, 14) E assim como Jesus, temos de perseverar ‘pela alegria que se nos apresenta’. — Hebreus 12:2.

Como podemos identificar e saber Quem é o “varão” de Habacuque 2:5 e por que não terá êxito? Habacuque 2:5 descreve um “varão vigoroso” que, em contraste com os servos de Jeová, deixa de atingir seu alvo, embora ‘ampliasse a sua alma como o Seol’. Quem é este homem que “não pode ser saciado”? Com uma voracidade igual à de Babilônia dos tempos de Habacuque, este “varão”, composto de poderes políticos — fascistas, nazistas, comunistas ou mesmo os chamados democráticos — trava guerras para expandir suas terras. Ele enche também o Seol, a sepultura, com almas inocentes. Mas, este traiçoeiro “varão” composto do mundo de Satanás, embriagado pelo convencimento da sua própria importância, não terá êxito em ‘ajuntar a si todas as nações e reunir a si todos os povos’. Somente Jeová pode unir toda a humanidade, e ele fará isso por meio do Reino messiânico. — Mateus 6:9, 10.

                    vejamos O primeiro de cinco ais dramáticos

O que passa a anunciar Jeová por meio de Habacuque? e Qual é a situação atual relativa ao lucro injusto? Jeová Deus, por meio do seu profeta Habacuque, passa a anunciar uma série de cinco ais, sentenças a serem executadas em preparação da Terra como habitação dos adoradores fiéis Dele. Estes, de coração justo, ‘encetam uma expressão proverbial’ apresentada por Jeová. Lemos em Habacuque 2:6: “Ai daquele que multiplica o que não é seu — oh! até quando! — e que se endivida pesadamente!” Aqui se dá ênfase ao lucro injusto. No mundo ao redor de nós, os ricos ficam mais ricos e os pobres, mais pobres. Traficantes de drogas e vigaristas acumulam enormes fortunas, enquanto muitos do povo passam fome. Diz-se que um quarto da população do mundo vive abaixo da linha de pobreza. As condições de vida, em muitos países, são chocantes. Os que anseiam que haja justiça na Terra clamam: ‘Oh! Por quanto tempo essas iniquidades têm-se multiplicado!’ Todavia, o fim está próximo! Deveras, a visão “não tardará”.

O que diz Habacuque a respeito do derramamento de sangue humano, e por que podemos dizer que hoje há na Terra muita culpa de sangue? O profeta diz ao iníquo: “Porque tu mesmo assolaste muitas nações, todos os remanescentes dos povos te assolarão, por causa do derramamento de sangue do gênero humano e da violência feita à terra, à vila e a todos os que moram nela.” (Habacuque 2:8) Quanta culpa de sangue notamos haver hoje na Terra! Jesus declarou explicitamente: “Todos os que tomarem a espada perecerão pela espada.” (Mateus 26:52) No entanto, somente no século 20, nações e grupos étnicos culpados de derramar sangue foram responsáveis pela matança de mais de cem milhões de humanos. Ai dos que participam nestes banhos de sangue!

                                  Vejamos o segundo ai

Qual é o segundo ai registrado por Habacuque, e que certeza podemos ter de que as riquezas desonestas de nada adiantarão? O segundo ai, registrado em Habacuque 2:9-11, sobrevém àquele “que obtém lucro vil para a sua casa, a fim de colocar seu ninho no alto, para estar fora do alcance do que é calamitoso”! Lucro desonesto de nada adiantará, conforme esclarece o salmista: “Não tenhas medo porque algum homem enriquece, por aumentar a glória da sua casa, pois na sua morte não pode levar nada consigo; sua glória não descerá junto com ele.” (Salmo 49:16, 17) Portanto, digno de nota é o conselho sábio de Paulo: “Dá ordens aos que são ricos no atual sistema de coisas, que não sejam soberbos e que não baseiem a sua esperança nas riquezas incertas, mas em Deus, que nos fornece ricamente todas as coisas para o nosso usufruto.” — 1 Timóteo 6:17.
Por que devemos continuar a proclamar o aviso de Deus? Como é hoje importante que se proclamem as mensagens de julgamento de Deus! Quando os fariseus objetaram que as multidões aclamavam Jesus como “Aquele que vem como Rei em nome de Jeová”, ele disse: “Eu vos digo: Se estes permanecessem calados, as pedras clamariam.” (Lucas 19:38-40) Do mesmo modo, se os do povo de Deus não expusessem a iniqüidade existente neste mundo, ‘de dentro da parede uma pedra clamaria em queixume’. (Habacuque 2:11) Portanto, continuemos corajosamente a proclamar o aviso de Deus!

              Veja o terceiro ai e a questão da culpa de sangue

Que culpa de sangue têm as religiões do mundo? O terceiro ai anunciado por meio de Habacuque trata do assunto da culpa de sangue. Habacuque 2:12 diz: “Ai daquele que constrói uma cidade com derramamento de sangue, e que estabeleceu firmemente uma vila por meio de injustiça!” Neste sistema de coisas, a injustiça e o derramamento de sangue muitas vezes vão de mãos dadas. É notável que as religiões do mundo tenham sido responsáveis pelos mais hediondos banhos de sangue da História. Basta mencionar as Cruzadas, que lançaram pretensos cristãos contra muçulmanos; a Inquisição católica na Espanha e na América Latina; a Guerra dos Trinta Anos na Europa, entre protestantes e católicos; e os mais sangrentos de todos, as duas guerras mundiais de nosso século, que começaram no domínio da cristandade. O que continuam a fazer as nações com o apoio ou o consentimento da Igreja? e Podem as Nações Unidas acabar com o armamento deste mundo?

Um dos aspectos mais iníquos da Segunda Guerra Mundial foi o Holocausto causado pelos nazistas, que ceifou a vida de milhões de judeus e de outros inocentes na Europa. Apenas recentemente, a hierarquia católica romana, na França, confessou que não se opôs ao envio de centenas de milhares de vítimas às câmaras de morte dos nazistas. No entanto, as nações continuam a se preparar para o derramamento de sangue, com o apoio ou o consentimento das igrejas. Referindo-se à Igreja Ortodoxa Russa, a revista Time (na edição internacional) declarou recentemente: “A revivificada Igreja exerce também influência decisiva num campo antes inimaginável: a máquina de guerra russa. . . . Bênçãos dadas a aviões de guerra e quartéis quase que se tornaram rotineiras. Em novembro, no Mosteiro Danilovsky, em Moscou, sede do Patriarcado russo, a Igreja foi ao ponto de consagrar o arsenal nuclear russo.” Poderão as Nações Unidas impedir o rearmamento deste mundo com demoníacos instrumentos de guerra? Dificilmente! Segundo o jornal The Guardian, de Londres, Inglaterra, um ganhador do Prêmio Nobel de Paz comentou: “O realmente desconcertante é que os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU são os cinco maiores fornecedores de armas do mundo.”

O que fará Jeová com as nações que fomentam guerras? Executará Jeová o julgamento nas nações que fomentam guerras? Habacuque 2:13 declara: “Ora! Não é da parte de Jeová dos exércitos que os povos labutam apenas para o fogo e que os grupos nacionais se cansam meramente em vão?” “Jeová dos exércitos”! Sim, Jeová tem exércitos angélicos, celestiais, que ele usará para acabar com povos e nações guerreiras! Até que ponto o conhecimento de Jeová encherá a Terra depois de ele executar o seu julgamento nos violentos grupos nacionais?
O que se seguirá à execução do julgamento desses violentos grupos nacionais por Jeová? Habacuque 2:14 fornece a resposta: “A terra se encherá do conhecimento da glória de Jeová assim como as próprias águas cobrem o mar.” Que grandiosa perspectiva! A soberania de Jeová será para sempre vindicada no Armagedom. (Revelação [Apocalipse] 16:16) Ele nos assegura que ‘glorificará o próprio lugar dos seus pés’, esta Terra em que vivemos. (Isaías 60:13) Toda a humanidade será educada na maneira de viver, estabelecida por Jeová Deus, de modo que o conhecimento dos gloriosos propósitos Dele encherá a Terra, assim como os oceanos enchem as bacias marítimas.

                               Eis o quarto e o quinto ai

Qual é o quarto ai anunciado por Habacuque, e como se reflete na situação moral do mundo atual?
O quarto ai é descrito em Habacuque 2:15 nas seguintes palavras: “Ai daquele que dá aos seus companheiros algo para beber, agregando a isso teu furor e tua ira, a fim de embriagá-los, com o objetivo de olhar para as suas vergonhas.” Isto sugere a situação dissoluta e desobediente do mundo moderno. Sua imoralidade, apoiada até mesmo por grupos religiosos permissivos, atingiu níveis ainda mais baixos. Pragas, tais como a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, assolam toda a Terra. Em vez de refletir a “glória de Jeová”, a atual geração, que só pensa em si mesma, mergulha ainda mais na depravação e avança para a execução do julgamento por Deus. ‘Fartada com desonra em vez de com glória’, este mundo delinqüente está prestes a beber do copo da fúria de Jeová, o que representa a Sua vontade para com o mundo. ‘Haverá ignomínia sobre a sua glória.’ — Habacuque 2:16.

Com que está relacionado o prelúdio do quinto ai anunciado por Habacuque, e por que têm estas palavras um significado no mundo atual?
Um prelúdio do quinto ai adverte firmemente contra a adoração de imagens esculpidas. Jeová faz o profeta declarar as seguintes palavras fortes: “Ai daquele que diz ao pedaço de pau: ‘Oh! acorda!’ à pedra muda: ‘Oh! desperta! Ela mesma dará instrução’! Eis que está revestida de ouro e de prata, e não há absolutamente nenhum fôlego dentro dela.” (Habacuque 2:19) Até o dia de hoje, tanto a cristandade como o chamado mundo pagão curvam-se diante de seus crucifixos, Madonas, ícones e outras semelhanças de homens e de animais. Nenhum destes poderá despertar para salvar seus adoradores quando Jeová vier para executar o julgamento. Seus revestimentos de ouro e de prata têm total insignificância em comparação com a magnificência do Deus eterno, Jeová, e com as glórias das suas criações vivas. Louvemos para sempre o inigualável nome Dele! Em que templo temos o privilégio de servir com alegria? Deveras, nosso Deus, Jeová, merece todo o louvor. Com profundo sentimento de reverência por ele, acatemos o firme aviso contra a idolatria. Mas, escute! Jeová ainda fala: “Jeová está no seu santo templo. Cala-te diante dele, toda a terra!” (Habacuque 2:20) Sem dúvida, o profeta pensava no templo de Jerusalém. No entanto, nós temos hoje o privilégio de adorar num muito mais grandioso templo espiritual, em que nosso Senhor Jesus Cristo está empossado como Sumo Sacerdote. Aqui, no pátio terrestre do templo, reunimo-nos, servimos e oramos, dando a Jeová a honra devida ao seu glorioso nome. E que alegria nos dá adorar de coração o nosso amoroso Pai celestial!