Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate this Page

Rating: 2.6/5 (86 votos)



ONLINE
1





Partilhe este Site...




um mundo sem guerra, acha difícil?
um mundo sem guerra, acha difícil?

 

DESDE que foi estabelecido em 1948 como estado moderno, Israel tem estado de prontidão contra seus vizinhos. Essa confrontação e disputa contínuas têm deixado um rastro de mães, esposas, filhos e outros consternados e enlutados — em ambos os lados. Todavia, um dos desejos naturais da humanidade, especialmente a nível familiar, é poder viver em paz. Entretanto, a guerra e a luta não são problemas exclusivos do Oriente Médio. Situações explosivas à espera de serem detonadas parecem existir no mundo inteiro. Assim, a pergunta é: será que algum dia conseguiremos estabelecer paz, não só no Oriente Médio, mas uma paz mundial? Em caso afirmativo, como se realizará isso? Será mediante a boa vontade política, religiosa e étnica da humanidade? Parece-lhe isso provável? Ou será necessária a intervenção de Deus, o Proprietário e Criador da Terra?

As Escrituras Hebraicas fornecem-nos profecias acalentadoras sobre o tempo em que as nações “forjarão das suas espadas relhas de arado, e das suas lanças, podadeiras: nação não levantará espada contra nação; jamais voltarão a conhecer a guerra”. — Isaías 2:4. Não foi só Isaías quem falou dessa paz em escala global. (Salmo 46:9-11 [ 46:8-10, NM]) Um dos principais temas da Bíblia é realmente o tempo em que haverá completa paz e harmonia entre os homens. Como comentou o estadista e escritor israelense Abba Eban, as Escrituras Hebraicas deram aos antigos israelitas uma perspectiva futura e uma esperança sem igual, visto que “só Israel aguardava tempos dourados no futuro”.1 Sim, está próximo um futuro maravilhoso para toda a humanidade, o fim da guerra, e muito mais. Isaías profetizou também condições paradísicas em toda a Terra — o fim da pobreza, das doenças e até o fim da morte. — Isaías 11:9; 25:8; 33:24; 35:5, 6; 65:21.

Alguns talvez reajam, dizendo: ‘Essas profecias foram escritas há milhares de anos, contudo ainda existe guerra. Como se pode considerar a Bíblia uma fonte fidedigna de esperança? Que provas concretas há de que a Bíblia é realmente a Palavra de Deus?

EM NOVEMBRO de 1994, o papa João Paulo II convocou uma assembléia multidenominacional no Vaticano. O evento foi marcado por orações pela paz mundial. “Quaisquer que sejam os conflitos do passado ou mesmo do presente”, disse o papa no seu discurso de abertura, “a nossa tarefa e dever comum é tornar mais conhecida a relação entre a religião e a paz”. Ironicamente, as religiões deste mundo têm uma péssima reputação neste respeito. William Vendley, secretário-geral da conferência, reconheceu que “as religiões estão profundamente envolvidas em conflitos, em várias partes do mundo”. Basta ver os massacres de Ruanda, um país predominantemente católico-romano.

Em maio de 1994, o papa João Paulo II admitiu que a tragédia ruandense era “um verdadeiro genocídio pelo qual, lamentavelmente, até mesmo os católicos são responsáveis”. Será que a participação católica afetou a credibilidade da Igreja? “Os massacres abalaram a fé de muitas pessoas”, disse André Bouillot, um jesuíta belga. E com boa razão. De acordo com um relatório da Reuters publicado no Herald de Miami, “sacerdotes, pastores e freiras estão entre os 40.000 prisioneiros hutus que aguardam julgamento por atos de genocídio”.

O The New York Times relatou: “Muitos ruandenses dizem que os bispos e arcebispos não condenaram os massacres com a devida prontidão e vigor, e que eles estavam achegados demais ao governo Habyarimana, que ajudou a treinar os esquadrões de morte. Pelo menos um sacerdote foi preso pelo novo governo, dominado pelos tutsis, acusado de colaborar nos massacres.” Não é de surpreender, acrescenta o Times, que “o novo Governo não quer que a Igreja Católica tenha o mesmo poder de antes, e que os soldados tenham molestado e até mesmo ameaçado prender sacerdotes que falam o que pensam e são demasiadamente independentes”.

Como encara Jeová Deus as orações pela paz feitas por religiosos que têm culpa de sangue? Isaías 1:15 responde: “Quando estendeis as palmas das vossas mãos, oculto de vós os meus olhos. Embora façais muitas orações, não escuto; as vossas próprias mãos se encheram de derramamento de sangue.” Enquanto isso, os servos genuínos de Jeová continuam a ‘não fazer parte do mundo’ e de seus conflitos. Durante os massacres em Ruanda, Testemunhas de Jeová de ambas as tribos arriscaram a vida para abrigar em seus lares Testemunhas ameaçadas da outra tribo, a fim de proteger a vida delas. A “grande multidão” de Testemunhas ao redor do globo, de todas as etnias, ora pelo Reino e o advoga como a única esperança para a verdadeira paz e segurança. — João 17:14; Revelação (Apocalipse) 7:9; Mateus 6:9, 10; 24:14