Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page

Rating: 2.5/5 (49 votos)



ONLINE
1





Partilhe este Site...




Medo — sinal do fim?
Medo — sinal do fim?


VIVEMOS no crepúsculo duma era de incerteza e ansiedade, em que “os homens [ficam] desalentados de temor e na expectativa das coisas que vêm sobre a terra habitada”? Apenas um breve retrospecto dos acontecimentos mundiais e dos motivos do medo desde 1914 avivará a nossa memória e nos ajudará a perceber se nos aproximamos ou não do “fim” predito. — Lucas 21:9, 25, 26.

O MEDO E A GUERRA

Os monumentos aos mortos da Primeira Guerra Mundial, na França, ostentam as palavras “la Grande Guerre”. Sim, aquilo que chamamos hoje de a primeira guerra mundial (1914-18) foi originalmente chamado de a Grande Guerra. Foi tão grande e terrível em matéria de mortes e destruição, que os homens esperançosamente a chamaram de a guerra para pôr fim às guerras. Após tal horrível lição, certamente se imaginava que o homem civilizado ‘não aprenderia mais a guerra’. (Isaías 2:4) Bastaram apenas 18 anos para que tal ilusão fosse frustrada com o irrompimento da terrível guerra civil espanhola (1936-39), na qual morreram mais de meio milhão de espanhóis. Alemães e italianos participaram nesse conflito, o que serviu de ensaio para o que havia de se chamar a segunda guerra mundial (1939-45). Essa catástrofe mundial teve fim com os holocaustos de Hiroxima e Nagasáqui.

Com tais explosões de bombas atômicas sobre o Japão, irrompeu no palco mundial uma nova causa para medo e ansiedade — o medo da guerra atômica. Quão verazes foram as palavras do professor Albert Einstein, proferidas em dezembro de 1945: “Prometeu-se ao mundo liberdade do medo, mas, na verdade, o medo tem aumentado tremendamente desde o fim da guerra”! Daí, ele acrescentou: ‘“O quadro do nosso mundo do após-guerra não é brilhante.”


Esse medo crescente é hoje retratado pelos milhões de pessoas em todo o mundo que fazem manifestações contra as armas nucleares. Até mesmo o clero se está envolvendo na questão. Sim, as armas nucleares transformaram a política e a estratégia militar mundiais. Conforme declarou o historiador E. P. Thompson, em seu recente livro Além da Guerra Fria (em inglês): “Essas armas operam nos meios políticos, ideológicos e estratégicos; são encaradas como ameaçadoras e têm por objetivo sê-lo; causam medo e simultaneamente intensificam e frustram sentimentos de agressão.”

Esse medo da guerra nuclear é universal. Um recente folheto soviético declarou: “A União Soviética sustenta que a guerra nuclear constituiria uma calamidade universal, e que mui provavelmente isso significaria o fim da civilização. Pode levar à destruição de toda a humanidade.” Agora, os dois principais blocos ideológicos se vêem num sutil impasse, baseado no que é conhecido como Destruição Mútua Assegurada — abreviado MAD. Não é de admirar que a humanidade esteja em “temor e na expectativa das coisas que vêm sobre a terra” — assim como Jesus profetizou.
O MEDO E O CRIME

Há outro tipo de medo que ocorre mais próximo do lar. Qual é? O medo do crime na sua própria vizinhança. Houve tempo em que o assaltante ou o ladrão levava apenas valores. Agora eles também tiram vidas. Há pouco medo da lei, e o crime compensa bem para muitos. Destarte, o medo aflige enormemente as grandes cidades e os bairros residenciais ricos. Por exemplo, o número de usuários do metrô de Nova Iorque é o menor desde 1917. Por quê? Um dos principais motivos é o medo de ser roubado ou assassinado. Certa notícia da Grã-Bretanha dizia: “O muito necessitado espírito comunitário está sendo destruído pelo medo do crime, que está mantendo muitas pessoas em casa.” Mesmo em cidades outrora seguras, como Barcelona, na Espanha, aumentou a venda de portas reforçadas, e muitas casas têm agora pelo menos duas ou três fechaduras e ferrolhos nas portas. Nos Estados Unidos, muitas mulheres estão aprendendo a usar revólveres para autodefesa. Certa pesquisa indicou que 52 por cento das famílias estadunidenses possuem armas de fogo! A mesma fonte informa: “O medo do crime está paralisando lentamente a sociedade estadunidense.”

Os inspirados escritores bíblicos sabiam que tais condições extremas ocorreriam no tempo do fim. Assim, o apóstolo Paulo advertiu: “Sabe, porém, isto, que nos últimos dias haverá tempos críticos, difíceis de manejar. Pois os homens serão amantes de si mesmos, amantes do dinheiro, pretensiosos, soberbos, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, desleais, sem afeição natural, não dispostos a acordos, caluniadores, sem autodomínio, ferozes, sem amor à bondade.” (2 Timóteo 3:1-3) Quantos crimes são motivados pelas coisas alistadas aqui pelo apóstolo! E quanto medo é propagado pela sempre crescente população criminosa!

Será que Deus vai permitir que os humanos continuem a dominar uns aos outros e a colocar em risco o futuro da humanidade? Não. Como vimos, ele vai intervir e acabar com séculos de sofrimento e opressão. O Criador dos humanos e da Terra quer que você saiba que está próximo o tempo de ele agir. Como ele revela essa informação tão importante?

Veja esta ilustração: Antes de fazer uma viagem de carro, você talvez consulte a internet, mapas ou anotações. Daí, ao passo que vê que as placas e os pontos de referência batem com suas informações, você fica mais confiante de que está se aproximando do seu destino. Da mesma forma, Deus nos deu a sua Palavra, que descreve o impressionante rumo que o mundo está tomando. À medida que vemos os acontecimentos seguirem esse rumo, ficamos convencidos de que estamos no tempo que levará ao fim.

A Bíblia explica que a História do mundo chegaria a um momento sem igual que levaria ao fim. Esse período seria uma combinação de situações e de acontecimentos mundiais diferentes de tudo que a humanidade já viu. Considere algumas características desse período mencionadas na Palavra de Deus.

1. PROBLEMAS MUNDIAIS Uma profecia registrada em Mateus capítulo 24 alista acontecimentos na Terra que formariam um sinal composto. Esse sinal marcaria a “terminação do sistema de coisas” e levaria ao tempo em que ‘viria o fim’. (Versículos 3 e 14) Esses acontecimentos incluem grandes guerras, falta de alimento, terremotos num lugar após outro, aumento de práticas que violam a lei, esforços astutos de líderes religiosos para enganar as pessoas e falta de amor. (Versículos 6-26) É claro que, até certo ponto, problemas assim ocorrem há séculos. No entanto, perto do fim, todos eles aconteceriam na mesma época caótica. Esses problemas também acompanhariam os próximos três sinais.

2. A ATITUDE DAS PESSOAS A Bíblia diz que os “últimos dias” — o período que leva ao fim — seriam marcados por uma grande piora no comportamento das pessoas. Lemos: “Os homens serão amantes de si mesmos, amantes do dinheiro, pretensiosos, soberbos, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, desleais, sem afeição natural, não dispostos a acordos, caluniadores, sem autodomínio, ferozes, sem amor à bondade, traidores, teimosos, enfunados de orgulho, mais amantes de prazeres do que amantes de Deus.” (2 Timóteo 3:1-4) É verdade que o desrespeito entre os humanos não é algo novo, mas só nos “últimos dias” é que isso chegaria a tal ponto que seria correto chamar essa época de “tempos críticos, difíceis de manejar”. Já notou que a atitude das pessoas está piorando?

3. A TERRA ESTÁ SENDO ARRUINADA A Bíblia afirma que Deus vai “arruinar os que arruínam a terra”. (Revelação [Apocalipse] 11:18) De que modo as pessoas arruinariam a Terra? A época em que Noé viveu foi descrita da seguinte maneira: “A terra veio a estar arruinada à vista do verdadeiro Deus, e a terra ficou cheia de violência. Deus viu, pois, a terra e eis que estava arruinada.” Assim, Deus disse o seguinte sobre aquela sociedade corrupta: “Eis que os arruíno.” (Gênesis 6:11-13) Percebeu como hoje a Terra também está “cheia de violência”? Além disso, os humanos chegaram a um momento único na História: eles têm o potencial de literalmente arruinar a Terra por destruir toda a vida humana. Eles têm as armas necessárias para isso. E a Terra também está sendo arruinada de outra maneira. Os sistemas que mantêm a vida na Terra — o ar que respiramos, a fauna, a flora, os oceanos — estão constantemente se deteriorando por causa da má administração do homem.

Pergunte-se: ‘Será que, um século atrás, a humanidade já tinha o poder de se destruir completamente?’ Mas hoje os humanos têm essa capacidade por acumular armamentos sofisticados e por devastar o meio ambiente. A tecnologia avança numa velocidade maior que a capacidade do homem de entender e controlar as consequências. Só que o futuro da Terra não está nas mãos do homem. Antes que toda a vida na Terra seja eliminada, Deus vai intervir e destruir os que estão destruindo a Terra. É isso o que ele promete!

4. UMA OBRA MUNDIAL DE PREGAÇÃO Outra parte do sinal do fim seria a realização de uma obra mundial sem precedentes: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14) Essa campanha de pregação seria bem diferente do trabalho de converter pessoas que, por séculos, tem sido realizado pela maioria das religiões. Durante os últimos dias, uma mensagem específica seria enfatizada: “Estas boas novas do reino.” Você conhece algum grupo religioso que dê destaque a essa mensagem? E, mesmo que alguns pareçam fazer isso, eles pregam apenas localmente ou divulgam essas boas novas “em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações”?

UM MOMENTO DECISIVO NA HISTÓRIA DO MUNDO

Percebe que os quatro sinais de aviso da Bíblia descritos neste artigo estão evidentes na época em que você vive? Por mais de um século, esta revista tem informado seus leitores sobre acontecimentos mundiais para que, por si mesmos, eles cheguem à conclusão de que o fim está se aproximando. Mas alguns céticos discordam, afirmando que os fatos e as estatísticas podem ser manipulados e que cada pessoa os interpreta de uma maneira. Eles também afirmam que as pessoas só têm a impressão de que as condições atuais estão piorando porque elas estão mais bem informadas sobre o que acontece no mundo. No entanto, há cada vez mais evidências de que estamos no final de uma época sem igual na História da humanidade.

Alguns estudiosos acham que em breve a Terra sofrerá grandes mudanças. Por exemplo, em 2014, o Comitê de Ciência e Segurança da revista Bulletin of the Atomic Scientists alertou o Conselho de Segurança da ONU sobre grandes ameaças à existência humana. Esses cientistas disseram: “Um cuidadoso exame dessas ameaças nos leva a concluir que ainda é alto o risco de a civilização ser destruída por uma catástrofe tecnológica.” Muitos têm cada vez mais certeza de que chegamos a um momento decisivo na História. Os editores desta revista e muitos de seus leitores estão convictos de que estamos mesmo nos últimos dias e de que o fim está chegando. Mas, em vez de ter medo do futuro, você pode ficar feliz com o que está para acontecer. Por quê? Porque você pode sobreviver ao fim!